Qual será o dólar em 2020 Faz sentido acreditar nas previsões

Os melhores corretores de opcoes binarias 2020:
  • FinMax
    FinMax

    O melhor corretor!
    Conta demo gratuita e treinamento para iniciantes!
    Inscreva-se bonus!

  • Binomo
    Binomo

    Corretor de opcoes binarias confiavel! Boa resposta!

Каким будет курс доллара в 2020? Верить прогнозам?

Если существует на свете самая большая тайна, то будущее единственной мировой валюты – это она и есть. Начнем с главного тезиса: какими бы ни были убедительными многочисленные прогнозы, какой именно будет курс доллара на 2020 год в действительности не может сказать никто. И для объяснения этого факта существуют не только популярные гипотезы из разряда теорий заговора, а вполне конкретные теоретические доказательства и рыночные сигналы. Однако никто не мешает прорабатывать и наиболее вероятные сценарии развития событий. Попробуем для формирования нашего собственного прогноза по курсу доллара рассмотреть как теоретическую базу, так и проработать один из сценариев.

Почему курс доллара США непрогнозируем в принципе

Деятельность любого Центрального банка должна быть исключительно внезапной и неожиданной для всех участников финансовых рынков. На этот счет теория финансового анализа предусматривает множество доказательств, однако, эта истина очевидна даже неподготовленному исследователю. Ведь если регулятор будет заблаговременно уведомлять о своих будущих действиях рыночных игроков, то они станут играть против него.

К примеру, если ЦБ заявит, что собирается девальвировать национальную валюту, значит, нужно купить как можно больше опционов-пут (чтобы потом откупиться по малой цене валюты). И в результате таких сонаправленных действий множества участников финансового рынка стоимость национальной валюты подскакивает, а ЦБ вынужден противостоять этой слаженной стратегии, тратя на это гигантские ресурсы.

Так поступают центральные банки всех стран, но почему же невозможно составить именно прогноз курса доллара? Оттого, что доллар США является единственной мировой валютой, на которую ориентируются все без исключения. На FOREX существует 5 основных тикеров , и более 70% всего оборота обеспечивают 8 валютных пар. Больше 43-45% оборота приходится на пары, относительно доллара США, плюс все основные валюты также отталкиваются в определении своей стоимости также котируются относительно доллара США.

Американский доллар является контрциклической валютой.

Контрциклическая валюта – валюта, традиционно демонстрирующая укрепление в периоды нестабильности на мировых рынках и/или спада в мировой экономике. К этой категории валют относятся, в частности, доллар США, японская иена и швейцарский франк.

Доллар – это самая сильная, самая распространенная, самая узнаваемая мировая валюта, которая может служить универсальным эквивалентом любого блага на планете.

Тактический прогноз (а курс доллара на 2020 год таковым и является) есть самая охраняемая тайна «за семью печатями» Федеральной Резервной системы США. Финансовая политика страны разрабатывается в ее недрах и Конгресс, Сенат и даже Президент имеет к ее нюансам весьма ограниченный доступ. Все дело в деньгах налогоплательщиков: если на каком-то уровне произойдет утечка данных, то для восстановления ситуации придется потратить огромные средства.

При этом, прогнозы на курс доллара составляют все, кому не лень. Однако следует называть вещи своими именами: все это не более чем предположение данного конкретного аналитика, которое имеет не больше шансов на осуществление, чем прогноз погоды на грядущую неделю.

Os melhores corretores de opcoes binarias 2020:
  • FinMax
    FinMax

    O melhor corretor!
    Conta demo gratuita e treinamento para iniciantes!
    Inscreva-se bonus!

  • Binomo
    Binomo

    Corretor de opcoes binarias confiavel! Boa resposta!

Вероятный сценарий развития событий

Так какой курс доллара стоит ожидать нам в 2020 году? Каковы в данном случае наиболее сильные факторы, которые, скорее всего, будут воздействовать на курс американской валюты?

В соответствии с прогнозами большинства экспертов, опрошенных сотрудниками ТАСС, ожидаемый диапазон курса рубля к доллару в середине текущего года будет складываться в районе 62-64 рублей. А вот перспективы второго полугодия выглядят для российской валюты хуже первого. К концу 2020 года доллар на российском рынке может укрепиться аж до 66-70 рублей за доллар (разумеется, в связи с глобальными экономическими событиями). Однако такой прогноз характеризует, скорей, курс рубля, а не доллара.

А в рамках данного анализа вполне логичным (и даже научным) представляется сделать другие предположения, относительно курса доллара на 2020 год. Какие же события, связанные с американской экономикой, в прошлом и настоящем мы имеем?

  • Дональд Трамп начал торговую войну с Китаем, подняв пошлины на китайские товары. (Логично предположить зеркальный ход китайских властей).
  • Процентные ставки по американским treasures – федеральным облигациям – перманентно сокращались. (Таким способом осуществляется стимулирование инвестиций именно в реальный сектор, ведь все большее количество отраслей начинают показывать доходность большую, чем безрисковые федеральные облигации).
  • Продолжает сокращаться профицит торгового баланса. (В этой связи, кстати, американцам жизненно важно продвинуть свой СПГ на высокомаржинальный рынок ЕС).

Кроме того, на Европейском континенте меняется тренд относительно видения дальнейшей стоимости евро: многие государства-участники ЕС желают роста общей валюты. Страны- рецепиенты дотационной политики Евросоюза хотели бы видеть курс доллара на 2020 год по отношению к курсу евро на уровне 1,15-1,16 (где европейская валюта, разумеется, дороже).

Все эти факторы недвусмысленно указывают на безальтернативность дальнейшего удешевления мировой валюты относительно настоящего уровня. И вот, почему:

  • Это даст американским экспортерам преимущество в международной торговле. В частности, с Китаем и на рынках третьих стран.
  • Увеличение экспорта с лагом в 1,5-2 года приводит к росту инвестиций в обрабатывающие отрасли, в чем США крайне востребованы на фоне прошлых выводов высокотехнологичных производств в страны с дешевой рабочей силой. То есть, удешевление валюты дополнительно стимулирует внутреннюю инвестиционную активность.
  • И наконец, более дешевый доллар даст возможность американцам отобрать у немецких конкурентов доли на принципиально важных рынках высокотехнологичных товаров.

Вывод

Разумеется, это не точно на все 100%, но если сложить воедино наиболее влиятельные векторы интересов крупнейших мировых экономических игроков (в частности, интересы корпораций США и стран ЕС), то все указывает именно на ослабление доллара по отношению ко всем мировым валютам в течение 2020 года. А значит, данный прогноз имеет под собой логичное обоснование.

Previsões de 2020: esotéricos contam o que vai acontecer. “Será ano duro”

Colaboração para Universa

O Sol vai reger 2020 e se espera que seja um ano de brilho e de revelações. A numerologia também prevê que a partir de 1º de janeiro nossas vidas terão energia em dobro e é possível que aconteça uma guinada financeira.

Quem saber o que mais bruxos, astrólogos e paranormais esperam para 2020? Claudiney Prieto, bruxo e criador da Mystic Fair, feira esotérica que acontece no Brasil há dez anos, reuniu um grupo de especialistas em espiritualidade e energias para fazer uma roda de previsões.

Relacionadas

2020 será regido pelo Sol: brilho, poder e muitas revelações vêm por aí

Numerologia 2020: especialista prevê energia em dobro e guinada financeira

Netuno volta a se ‘endireitar’: fim da retrogradação ajuda alguns signos!

Segundo ele, o ano terá o Sol como nosso regente. Além de esperarmos iluminação e brilho, devemos nos lembrar que muita coisa oculta poderá vir à tona.

Participaram da roda de conversa a paranormal Cathia D’Gaya, o adivinho Carlinhos Vidente, o pai-de-santo Diego de Airá, os astrólogos Ricardo Hida e Serena Salgado, a numeróloga Márcia Pugliesi, a sacerdotisa da Grande Fraternidade Branca Valdiviah Latare e o coach espiritual Daniel Atalla.

Confira abaixo o que cada um deles prevê para 2020.

Mais sucesso em 2020

Para o próximo ano, estaremos com a energia do trabalho com o cigano Vladmir e a energia do dinheiro com a cigana nômade Solemar. A carta número 4 do baralho cigano é a Casa, e ela nos diz que poderemos realizar projetos e finalizar o que tanto desejamos ver concretizado.

Podemos ter patinado um bocado em 2020, mas em 2020 teremos muito sucesso. Já a carta 13, que é a carta da Criança, completa o cenário dizendo que teremos muitas possibilidades de alcançar nossos objetivos.

Podemos, com isso, contar com caminhos abertos a partir do dia 1º de janeiro de 2020. A criança traz uma ingenuidade que é muito importante para nós, habitantes de um mundo tão duro. Não é uma ingenuidade burra, mas é a daquele que se vê disposto a percorrer seus sonhos sem criar implicações. Ao mesmo tempo, 2020 será um ano de grandes definições, força e consciência para enfrentar os obstáculos e colocar os “pingos nos is”. Será muito melhor que 2020, mas o Brasil será convidado a acertar o que não está bom, sem dúvidas.

Cathia D’Gaya, paranormal

O que aconteceu neste ano ainda permanece

Eu gostaria muito de falar que 2020 vai ser melhor, mas vejo o cenário completamente diferente. O ano que vem será um dos piores para o Brasil. O assunto Marielle vai feder e será definitivo no cenário político. Veremos muitas brigas de família entre os governantes. Todos irão para as ruas, a exemplo do que já está acontecendo na América Latina. A cada seis lojas, três irão fechar em uma séria crise no comércio.

A região sul sofrerá com tempestades e enchentes. O mar irá se revoltar contra todo óleo derramado e, além disso, sentiremos o abalo de um terremoto na Avenida Paulista, em Santos e no Rodoanel sentido Campinas.

As pessoas no poder estarão trabalhando por vontade própria e não pelo povo. Perderemos três apresentadores de televisão aberta muito influentes para o Brasil. Um deles deixará o país de luto por duas semanas, inclusive. Poderemos viver novamente uma greve de caminhoneiros e, além disso, a Amazônia ainda vai dar muito o que falar. Veremos uma matança de indígenas por brigas de território que será muito séria.

Exu traz transformações

Exu há de trazer muitas transformações e, além disso, Xangô entra em 2020 muito forte, pedindo por justiça e trazendo muitas coisas à tona, muitas verdades. A gente entra nesse turbilhão e o primeiro semestre será de uma verdadeira transição. É claro que há previsões boas, mas estamos em aprendizado, um momento excelente para as mais diversas reestruturações.

Busquem um motivo espiritual. Nos anos que se passaram, muitos de nós se afastaram da espiritualidade e hoje, mais do que nunca, precisamos nos aproximar novamente. Por bem ou por mal, isso acontecerá. Melhor que seja por vontade própria, não é mesmo?

Diego de Airá, babalorixá

Ajudinha da espiritualidade

No mapa astral do Brasil para 2020, o Sol ingressa em Áries e teremos uma concentração de astros em Capricórnio, um signo de muito conservadorismo, cautela financeira e questões profissionais.

Temos, também, Netuno em Peixes, mostrando que a espiritualidade vai nos ajudar muito nesse ano de terra, um ano seco. Todas as coisas físicas — incluindo a saúde — merecem atenção. Definitivamente, não é um ano para brincar com a saúde. Além disso, Júpiter, Plutão e Saturno trazem um ano politicamente conturbado para o Brasil. Vamos enfrentar muitas dificuldades enquanto cidadãos brasileiros.

O ano será regido pelo Sol a partir de março, mas no mapa do Brasil, Júpiter e Marte estão muito fortes, exigindo ética, justiça e aproximação da família. Somos um país com pouca estabilidade e planejamento, portanto, plantem o que querem colher com responsabilidade. A ligação com o sagrado vai trazer mais tranquilidade para vivenciar tudo isso.

Ricardo Hida, astrólogo

Número 4 como regente

2020 para mim será maravilhoso para todos nós. É quando a gente sai do ciclo do número 1 — do 2020 até 2020 — e um novo caminho se inicia. O número 4, o Sol, Xangô, Ganesha, Arcanjo Miguel e a carta do Julgamento no Tarô serão nossos regentes.

O principal é que estamos, neste momento, virando um fluxo de energia gigantesco, que é a saída de uma fase totalmente tensa e negativa. Com o país em guerra, 2020 pode não ter sido fácil para muita gente, por isso mesmo em 2020 precisaremos limpar tudo que não serve mais. É primordial construir em nós uma faceta melhor. O país pode estar, sim, num momento ruim, mas o que você vai fazer por você é o que importa. Está pronto para viver seu melhor? Essa possibilidade chega com o novo ano.

Se nos últimos ciclos não estavam favoráveis, agora é a hora de fazer uma mudança total e 2020 dá essa possibilidade. De cara, temos a carta do Julgamento, que diz que podemos que podemos renascer e buscar nosso propósito. De novo, ainda acho que vamos ver pessoas públicas partindo e, a partir disso, poderemos refletir mais sobre a nossa própria vida.

Daniel Atalla, coach espiritual

20 e 20: parcerias e adaptação

O ano de 2020 será regido pelos números 20 e 20, que vão ajudar muito nas parcerias, na paciência e na nossa adaptação. É muito importante que a gente treine a flexibilidade porque, quando somados, os dois números resultam em um 4, que traz uma reestruturação, um alicerce sólido e bases firmes para aquilo que for construído tijolo por tijolo. Para as coisas darem certo, tem que ser assim: trabalho, foco, dedicação e honestidade. Tudo que falamos aqui são tendências, e não sentenças fechadas.

Cada um tem uma história e uma trajetória, o que desejamos é que cada um consiga usar isso de uma maneira positiva. E, através da energia de 2020, a numerologia traz essa força. Se fomos observar, são números pares que estão regendo este ano, e números pares são mais lentos do que os ímpares. Todo alicerce e reestruturação precisa dessa lentidão para que as construções aconteçam de maneira sólida. Os dois zeros de 2020 são um verdadeiro start!

Portanto, 2020 tem tudo para ser bom, desde que nos dediquemos a isso.

Dica: limpem tudo que não tem mais utilidade da vida de vocês, inclusive dos pensamentos. Daqui em diante, se empoderem daquilo que é de vocês por direito. Limpezas emocionais e físicas abrem caminhos poderosos. As novas sementes estão prontas para chegar em nossa vida, mas elas precisam de espaço. Quem não for flexível, terá dificuldades. Quem não se adaptar, idem. O momento é de buscar paciência e boas parcerias.

Marcia Pugliesi, numeróloga

Sol coloca de novo no rumo

Será um ano marcado por conjunções entre Júpiter, Saturno e Plutão em Capricórnio. No dia 20 de março, quando começa o ano astrológico, Marte será como um estopim, trazendo revelações econômicas e políticas que não serão fáceis, mas serão importantes, já que Capricórnio mostra os acontecimentos que precisam ser estruturados.

A gente viu muita coisa errada acontecendo em 2020, muita corrupção inclusive, mas Júpiter vem mostrar ao mundo que, quem abusou, vai pagar. Será um ano que pedirá para que nos reorganizemos em nossa identidade, que façamos reestruturações em todos os âmbitos. Não será simples, ainda que seja regido pelo Sol.

Quem você é e o que você quer construir? Se você se perdeu, o Sol te coloca de volta ao rumo. Porém, teremos, sim, muitas coisas para reestruturar. A justiça é representada por Júpiter e, em Capricórnio, e ele diz: acabou a mamata. Só vai ganhar dinheiro quem se esforçar e trabalhar. Quem ganhou dinheiro sem merecer, terá que devolver. Dito isso, vamos nos lembrar que o povo brasileiro é trabalhador e merecedor. Que vibremos na prosperidade a na abundância!

Serena Salgado, astróloga

Fluxo de energia favorável

Nós vamos entrar em 2020 com a regência do quarto raio da grande Fraternidade Branca. É um fluxo de energia favorável para fazermos todos os cursos possíveis, adquirir muito conhecimento e equilíbrio divino. O nosso amado mestre Seraphis Bey, os serafins e nosso amado Arcanjo Gabriel trazem um trabalho muito especial para controlar nossas emoções pessimistas. Seja no mundo individual, seja no mundo social, seremos testados. Porém, precisaremos enfrentar tudo com harmonia e distinguir o verdadeiro eu do eu dual. Devemos buscar o prazer de viver, ter pensamentos superiores e ajudar os seres de luz a trabalhar a arrogância e o ego. Vamos vigiar nossos desejos. Não estamos sós!

Valdiviah Latare, Fraternidade Branca

Nexo Jornal

Cotação da moeda americana bate recordes nominais no Brasil no começo de 2020. O ‘Nexo’ explica como isso pode afetar exportadores e importadores e pressionar a inflação

Na virada de 2020 para o início de 2020, o dólar tem batido recordes nominais seguidos. Se em novembro de 2020 a cotação da moeda americana estava na casa dos R$ 4,25, no início de março já estava no patamar dos R$ 4,65.

RECORDES NOMINAIS

A cotação do dólar que atinge recordes é a nominal. Isso significa que não estão contabilizados nesse valor os cenários de inflação do Brasil e dos EUA. A cotação real do dólar, portanto, leva em conta o poder de compra da moeda americana no Brasil.

Apesar do recorde nominal atingido pelo dólar no início de 2020, em outros momentos a cotação real da moeda americana esteve mais alta. Entre 2001 e 2003, por exemplo, no momento de transição do governo de Fernando Henrique Cardoso para Luiz Inácio Lula da Silva, o valor real esteve consistentemente acima do nível de janeiro de 2020.

EVOLUÇÃO REAL

A alta do dólar ocorre em um momento de incerteza no cenário internacional em decorrência da epidemia do novo coronavírus. Nos primeiros dias de março, o número de infectados no mundo inteiro ultrapassou 100 mil – em 6 de março, as vítimas fatais eram mais de 3.400. Os temores com relação à disseminação da doença derrubaram mercados pelo mundo e levaram investidores a buscarem ativos considerados seguros, como ouro e títulos do tesouro americano.

No cenário interno, o quadro é marcado pelo baixo ritmo de recuperação da economia brasileira – conforme evidenciada pelo crescimento de 1,1% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020. O baixo patamar da taxa básica de juros é outro elemento que compõe o contexto econômico do Brasil no início de 2020. Além disso, há incerteza política diante de embates entre o presidente Jair Bolsonaro e o Congresso Nacional.

O Nexo explica abaixo como a taxa de câmbio pode afetar não só o bolso de quem viaja ao exterior, mas de quem não sai do país.

O mercado de câmbio

Em países onde o câmbio opera em regime flutuante, como o Brasil, o mercado de câmbio funciona de forma similar a outros mercados: o preço da moeda estrangeira é definido pela dinâmica de oferta e demanda do produto.

Dessa forma, se há uma procura muito alta pelo dólar ou o momento é de escassez da moeda no mercado, a tendência é que o preço – a chamada cotação – aumente. Da mesma forma, se a demanda pelo dólar está em baixa ou a oferta está muito alta, o esperado é que a cotação caia.

Além dos agentes habituais, como compradores e vendedores da moeda, o mercado de câmbio conta com outro ator importante: o Banco Central. A autoridade monetária do país pode entrar em ação, comprando e vendendo dólares, de acordo com aquilo que entende como uma necessidade do momento. Normalmente, o Banco Central age para conter variações muito bruscas do dólar, utilizando suas reservas internacionais para intervir no mercado.

Fatores que influenciam o câmbio

As contas externas consistem basicamente no saldo de todos os dólares que entram e saem do país. O chamado balanço de pagamentos computa desde exportações e importações até os investimentos externos feitos no Brasil. Esse saldo influencia o câmbio ao mostrar como variou a disponibilidade de dólares no mercado nacional. Se mais dólar entrou do que saiu, a oferta de moeda americana aumenta e a cotação tende a cair, e vice-versa.

Os juros de um país são importantes para demarcar quanto um investimento irá render no local. Se os juros brasileiros estão mais altos, por exemplo, isso significa que uma aplicação terá um rendimento mais alto aqui do que em países com juros mais baixos. Assim, o patamar dos juros ajuda a atrair ou não dinheiro de fora, servindo de base para as projeções de rentabilidade de investimentos.

A inflação influencia apenas o câmbio real – isso por determinar se a cotação nominal do dólar realmente irá alterar seu poder de compra. Se todos os preços subirem no Brasil na mesma proporção da elevação na cotação nominal do dólar, a moeda americana não terá ganhos reais, apesar da valorização nominal.

Os efeitos sobre a exportação

O primeiro efeito direto do dólar alto que aparece é o aumento dos custos para quem viaja ao exterior. Desde as passagens de avião, cujos preços costumam ser pautados pelo dólar, passando pelos preços de estadia, até gastos com comida e compras. É o caso das viagens à Disney, citadas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em seu comentário sobre empregadas domésticas. De forma pejorativa, ele disse, em fevereiro, que elas viajavam diversas vezes ao exterior quando o câmbio estava baixo.

Mas os impactos do dólar sobre a economia e o bolso dos brasileiros não se limitam a quem viaja para fora do país. O câmbio faz a diferença para quem faz negócios com empresas no exterior e pode ecoar para toda a população brasileira.

Quando o real se desvaloriza – e, logicamente, o dólar fica mais caro –, isso faz com que produtos brasileiros fiquem mais baratos no mercado internacional.

Se nos primeiros dias de 2020 100 dólares compravam, por exemplo, 386 unidades de um produto que custa um real, um ano depois essa mesma quantia comprava 402 unidades. A desvalorização cambial, portanto, barateou esse produto aos olhos do comprador estrangeiro.

O real mais barato perante o dólar, portanto, tem como efeito atrair o mercado internacional e estimular as exportações brasileiras. Mas, para isso ocorrer, é necessário que haja demanda pelos produtos.

Além do câmbio, as exportações dependem dos preços específicos de cada um dos produtos no mercado internacional. É possível, por exemplo, que o preço de uma mercadoria suba a ponto de anular os efeitos do câmbio sobre o preço.

Se, por exemplo, o dólar dobra de valor na mesma época em que há uma praga em plantações de algodão, o preço do produto dobra em todo o mundo. Nesse caso, o preço do algodão não sofreu variações reais. Ou seja, não ficou mais baixo para o comprador estrangeiro – nem mesmo com o câmbio alto.

Além disso, as exportações dependem de compradores. Quando a economia do país importador está em desaceleração ou recessão, a demanda por produtos externos cai, afetando os países que vendem esses bens.

No cenário de epidemia de coronavírus do início de 2020, a expectativa de economistas e órgãos internacionais é que a doença esfrie a economia global. Assim, a tendência é que o ritmo do comércio internacional caia e a demanda por produtos brasileiros também seja arrefecida. Neste caso, nem mesmo o câmbio alto pode ser capaz de estimular a compra de produtos brasileiros no exterior.

Os ecos sobre a economia

Se, de fato, o câmbio alto levar a um aumento nas exportações, isso beneficia as empresas do setor exportador. Com maiores receitas, elas podem decidir aumentar a produção, investindo mais e empregando mais pessoas.

Os produtos mais exportados pelo Brasil são majoritariamente commodities – produtos com pouco valor adicionado, resultados de atividades de extração ou agropecuária. É possível que esses setores contratem mais pessoas. Esses setores, porém, tendem a contratar menos pessoas do que a indústria de transformação – a indústria extrativa e a agricultura se encaixam naquilo que economistas chamam de atividades pouco intensivas em trabalho.

De toda forma, se há aumento no nível de emprego como resultado indireto do aumento do câmbio, o efeito dominó positivo pode seguir ecoando para o resto da economia. Os novos empregados podem consumir mais produtos, fazendo circular ainda mais o dinheiro pela economia.

Todo esse processo de aquecimento da economia depende, porém, de que o aumento nas exportações leve a um aumento de investimento e gastos pelos empresários do setor. Assim, não há garantias de que as empresas irão recolocar os ganhos advindos do aumento do dólar na economia.

Como funciona uma exportação

Quando uma empresa no Brasil exporta um produto ao exterior, ela pode receber o pagamento em reais ou em moeda estrangeira. Quando a transação é feita em moeda estrangeira e o recurso é ingressado no Brasil (o exportador pode manter o dinheiro no exterior), é necessário que seja feita uma operação de câmbio. Isso significa que será feita uma conversão da moeda estrangeira para reais antes de o dinheiro de fato circular na economia – afinal, a economia brasileira opera no dia a dia apenas com reais.

Para que seja feita essa conversão, as partes que fecharam o negócio contam com o intermédio de uma instituição financeira. Essa instituição deve ter autorização do Banco Central para operar no mercado de câmbio.

Junto com a instituição, as partes fecham um contrato de câmbio que define os valores exatos com base em uma cotação. Apenas após toda a operação é que o dinheiro passa a circular de fato na economia.

De forma semelhante, ocorre um processo reverso no caso das importações. As transações que envolvem diferentes moedas, portanto, sempre passam por algum intermediário autorizado pelo Banco Central.

Os efeitos sobre a importação

Os efeitos que o dólar alto pode causar sobre a importação são praticamente todos análogos ao caso da exportação – mas, obviamente, vão no sentido inverso. Se a alta do câmbio pode estimular as exportações, ela também pode fazer cair as importações.

O dólar alto encarece as compras no exterior para todo mundo no Brasil. Isso vale tanto para o jovem que compra um celular americano pela internet como para o produtor que precisa de uma máquina ou uma mercadoria específica para conduzir seu negócio.

Com produtos vindos do exterior mais caros, pode ser que empresários que dependem muito de importações diminuam suas operações, ou até fechem as portas. Isso pode deprimir os setores da economia que usam muitos insumos estrangeiros, reduzindo o investimento e o emprego, e ressoando negativamente na economia.

O repasse aos preços

Além de desestimular os setores que dependem de produtos importados, o câmbio alto pode levar a um aumento nos preços. Isso porque produtos importados ou que dependem de máquinas e insumos vindos do exterior podem ser pressionados.

Um exemplo simples é de um padeiro que usa um tipo de farinha que só é possível comprar no exterior. Nesse caso, ele não tem opção senão comprar o produto mais caro. Assim, seus custos aumentam e ele pode escolher elevar o preço do pão para compensar esse movimento.

É recorrente que altas no câmbio impactem a inflação brasileira, comumente medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Em 2020, por exemplo, quando o aumento dos preços ficou em 10,67% no ano, a disparada do câmbio foi responsável por 1,57 ponto percentual da inflação anual, de acordo com cálculo do Banco Central. O dólar iniciou aquele ano a R$ 2,69 e fechou a R$ 3,90.

O cenário inflacionário de 2020

No começo de 2020, mesmo com a valorização considerável do dólar, ainda não há pressão inflacionária significativa no Brasil. Isso porque a decisão de preços sempre passa pelos empresários, e alguns ainda esperam antes de repassar o aumento de custos aos consumidores. Por ora, eles recorrem a estoques para evitar o aumento nos preços.

Ainda não se sabe qual será o efeito exato da alta do dólar sobre a inflação em 2020. No fim de 2020, quando a cotação do dólar já atingia recordes nominais, Paulo Guedes minimizou os impactos do câmbio alto na economia.

“ O dólar está alto. Qual o problema? Zero. Nem inflação ele [dólar alto] está causando. Vamos exportar um pouco mais e importar um pouco menos ”

Os melhores corretores de opcoes binarias 2020:
  • FinMax
    FinMax

    O melhor corretor!
    Conta demo gratuita e treinamento para iniciantes!
    Inscreva-se bonus!

  • Binomo
    Binomo

    Corretor de opcoes binarias confiavel! Boa resposta!

Quanto você pode ganhar em opções binárias?
Deixe uma resposta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: